CABOCLOS NKISIS

O projeto, financiado pela OI FUTURO prevê, através de intercâmbios entre mestres da religiosidade banto, antropólogos e fotógrafos/documentaristas, um diálogo acerca das noções de espaço, território e identidade no Brasil (Maranhão) e Cuba (Havana e Villa Clara), tendo como eixe das discussões as religiões de ascendência banto (Pajé de Negros e Terecô, MA e Palo Monte, Cuba).

O objetivo maior é fomentar tais discussões através do uso das novas tecnologias (blogs, câmeras de vídeo, áudio), abrindo espaço então para diálogos simétricos entre fazedores de cultura e seu entorno, bem como propiciar a documentação/registro de bens imateriais/materiais em contexto religioso específico, tanto em Cuba quanto no Brasil, em espaços que foram/são historicamente privados de acessos a estes bens tecnológicos. Assim, no Brasil trabalharemos com terreiros situados em quilombos (Codó e Guimarães) e em Cuba com os cabildos, associações religiosas que remontam à escravidão anterior. Para isso, faremos um intercâmbio entre artistas, religiosos e acadêmicos cubanos e brasileiros, que fomentarão conversas acerca da noção de espaço e identidade e tratarão de retratar essas “sensações” da comunidade visitada através de tecnologias do aúido visual, como fotografias, imagens de vídeo, experimentos de novas técnicas narrativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Música, movimentos sociais e novas tecnologias no espaço Atlântico