Mandou me chamar, eu vim!

O projeto, que faz parte de um Ponto de Memória no Exterior (IBRAM), busca compreender as relações religiosas entre brasileiros e portugueses, unidos pela identidade de ascendência negro-africana.
Pai João_25

Estaremos entre os dias 3 e 5 de julho no Centro Cultural de Carnide, atuando com a Associação GINGA BRASIL em rodas de conversa, projeção de documentários, exposição fotográfica e muito aprendizado!

Print

Programação em Lisboa:

Jornadas culturais Associação Ginga

Dia 3 (sexta) de Julho
19:00 Sexta Roda de abertura
20:30 Filme Caboclos Nkisis – a territorialidade banto no Brasil e em Cuba
21:30 Debate com Ana Stela Cunha

Dia 4 (sábado) de julho
9:30 Palestra com mãe Antónia – a trajetória de uma mãe de santo em Portugal.
10:30 Musicalidade afrobrasileira – Mestre Chapão.
11:40 Roda
14:00 Dança Afro- Mandingo – Mafalda
15:300 Filme Mandou me chamar, eu vim! Estética e Performance nos candomblés em Portugal
16:30 Rodas de conversa: O espaço, a ancestralidade e a (re) criação das identidades: religião e pertencimento Ana Stela Cunha (UFMA/CRIA)
17:30 Musicalidades e danças do nordeste brasileiro. Mestre Chapão
Mercado Municipal do Bairro Padre Cruz
22:00 Roda e bate papoeira.

Dia 5 ( Domingo) de julho
10:00 Aula de capoeira com os instrutores do grupo ( crianças e adultos)
11:30 Roda
14: 00 Batizado



Citar este post
Ana Stela Almeida Cunha (2015, 7 Junho). Mandou me chamar, eu vim! Sobola! Recuperado em 20 de Junho de 2024, de https://doi.org/10.58079/u9ot

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.